Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Alpha, a primeira geração 100% digital

Na árvore genealógica das mais recentes gerações, depois dos baby boomers (nascidos entre 1946 e 1964) veio a geração X (entre 1965 e 1979). Para todos eles, com algumas diferenças evolutivas óbvias, a tecnologia ainda era mais ficção científica do que realidade concreta. Eis então que veio a geração Y (nascidos entre 1980 e 1996), os famosos Millennials. Muito mais familiarizados com meios de comunicação e tecnologias digitais, dando ares de quem já vivia no futuro. No próximo cenário histórico, surge a geração Z (nascidos entre 1997 e 2010), que vive conectada e está habituada a lidar com as funcionalidades da tecnologia digital desde cedo. Para eles, o mundo analógico é um passado bem distante. 

A visão de mundo dos Alphas

Tudo ao redor dos Alphas (nascidos a partir de 2010), começando por seus pais, está constantemente conectado à internet. A tecnologia é uma extensão de suas vidas e se tornou a principal forma de conhecer e interagir com o mundo.

Os Alphas não veem os dispositivos digitais como ferramentas, mas como parte integrada de suas vidas, sendo impossível imaginar um mundo sem eles.

Eles enxergam cada vez menos barreiras entre as pessoas, o diverso é natural, o diferente é normal. Separações como “coisas de menino” e “coisas de menina” caem por terra para essa geração, em que as crianças apresentam comportamentos menos limitados pelos estereótipos.

Costumam ser crianças mais inteligentes que têm a oportunidade de desenvolver uma série de habilidades criativas para a resolução de problemas.

A geração Alpha não gosta apenas de receber informações, ela quer interação, quer participar do processo de aprendizado.

Ao mesmo tempo, os pais Millennials participam mais das funções da casa e da criação dos filhos, trazendo uma nova referência de paternidade que influencia o comportamento dos mesmos.

Um dado relevante: a cada semana, nascem mais de 2,5 milhões de Alphas no mundo. Isso significa que, em 2025, este grupo poderá ser de mais de 2 bilhões de pessoas.

Os Alphas são o nosso futuro. Pais e mães, avós e avôs, tios e tias, vamos torcer por esta geração neste admirável mundo novo.